A INUTILIDADE DA VIDA SEM DEUS

Ec 1.1-18

Introdução: No livro de Eclesiastes a vida é como ela é. Ele é histórico e realista. Nele não há milagres. Seu grande milagre é o discernimento de como a vida é, sem os auto-enganos que produzimos a fim de amenizar a nossa dor acerca dos fatos da existência humana. Vejamos a Inutilidade da Vida sem Deus.

1. A Vida Sem Deus é Tediosa Como o Ciclo da Natureza (vs.2-10)
• Parece não fazer sentido algum, v.2
• Parece não trazer recompensa alguma, v.3; 2.22; 3.9
• Parece não provocar mudança alguma, vs.4-8
• A previsibilidade cotidiana torna-se tediosa e enfadonha, v.8a.
• Esta previsibilidade faz da vida uma repetição de coisas que já aconteceram. Não há nada novo, vs.9-10
• Não solução neste mundo para o problema da felicidade humana.

2. A Vida Sem Deus é Como História Sem Registro (v.11)
• A História tem o poder de apagar a história. Por esta razão repete-se os erros constantemente.
• A vida se torna irrelevante sem Deus.

3. A Vida Sem Deus é Como Um Grande e Pesado Fardo (vs.12-13)
• Um fardo difícil de se carregar.
• Um fardo que se carrega sem saber para onde o está levando, v.12b.

4. A Vida Sem Deus é Como Viver Sem Esperança (vs.14-18)
• É acreditar que “pau que nasce torto, morre torto”.
• É não acreditar na transformação do ser – possível somente através do Evangelho de Cristo, 2 Co 5.17; 3.18.
• É descobrir que quanto mais se sabe da vida menos se tem domínio sobre ela.
• É reconhecer que o conhecimento sem Deus só produz sofrimento e desgosto.
• Pois o único conhecimento que traz vida é o conhecer a Deus, Jo 17.3

Conclusão: O homem foi criado a imagem de Deus e para glória de Deus. Quando esta imagem é ofuscada e este propósito abortado, a vida se torna inútil e sem sentido.

Adriano Moreira

ONDE ESTÁ A FELICIDADE?

Ec 2.1-26

Introdução: Um das grandes perguntas da vida é: onde encontrar a felicidade? Ou: Como posso ser feliz? Este capítulo responde onde não está a felicidade.

1. Não está na alegria que o mundo oferece (v.2)
• A alegria do mundo é loucura.
• A alegria do mundo é passageira.

2. Não está numa mesa farta (v.3)
• Veja a advertência de Jesus ao rico insensato, Lc 12.9
• Nem só de pão viverá o homem, Mt 4.4.

3. Não está na realização dos sonhos (vs.4-8,10,11)
• Quando as realizações não são para glória de Deus são inúteis.
• Ele menciona a sua casa, mas não menciona a casa do Senhor.
• Os jardins eram demonstração de grandeza.
• Suas posses eram tantas que podia oferecer em sacrifício diário dez bois de cevada, vinte bois de pasto e cem carneiros (1 Rs 4.22,23).

4. Não está na sabedoria terrena (vs.9,12-)
• A sabedoria tem o seu valor, v.13
• Sabedoria terrena não dá satisfação; só preocupação, v.12
• O fim da vida é uma realidade tanto para sábios como para tolos, vs.14,15
• Os sábios, via de regra, não são lembrados após a morte, v.16.
• Por isso a vida se torna sem sabor diante da insatisfação do trabalho.

5. Não está na herança (vs.18-23)
• Quem vier terá sabedoria para administrar o que está feito?
• Nada nesta vida construímos para nós mesmos. Sempre para quem vem depois.

6. Está na fé em Deus (vs.24-26)
• A única saída é ser feliz na vida é realizar o trabalho, sabendo que isto é um dom de Deus, v.24; 1 Tm 4.4.
• Quem pode ser feliz sem Deus?, v.25
• A felicidade está no segredo de ser agradável e agraciado por Deus

Conclusão: Verdadeira felicidade só em Cristo Jesus.

Adriano Moreira

DISCERNINDO O TEMPO

Ec 3.1-8

Introdução: Tempo é um fenômeno do qual a única maneira sadia de lidar com ele é pela via do discernimento. Ele pode ser amigo ou inimigo. Bom ou ruim. Existem pelo menos três interpretações diferentes acerca do tempo: A Linear, como pensamento grego, entende o tempo como passado, presente e futuro; a Cíclica, pensamento judeu exposto no Eclesiastes, enxerga o tempo de modo repetitivo; e a Simultânea, exposta no Novo Testamento, que interpreta o tempo de modo paralelo como um “agora” e “ainda não”. Por isso algumas coisas relacionadas a ele precisam ser discernidas. Vejamos:

1. TEMPO É PRIORIDADE
• Como é impossível ser, fazer, conquistar ou realizar tudo ao mesmo tempo, em todo tempo é preciso priorizar.
• Ganho tempo e utilizo melhor meu tempo quando tenho prioridades.

2. TEMPO É REVELADOR
• O tempo tem o poder de trazer à luz coisas encobertas ou impossíveis de serem discernidas de imediato. Dentre elas o amor, o caráter e a fidelidade.

3. TEMPO PRECISA SER DISCERNIDO
• Há a necessidade de se entender o tempo das coisas e acontecimentos.
• É preciso entender o tempo ideal de falar, agir, etc.

4. TEMPO TEM SEU TEMPO DETERMINADO
• Isto significa que não há como antecipar ou atrasar o tempo das coisas.
• Só Deus sabe o tempo certo e ideal de tudo.
• Há tempo de abraçar….

5. O TEMPO DE DEUS DIFERE DO NOSSO
• Nosso tempo é considerado “cronos”.
• O tempo de Deus é chamado “kairós”.
• A única maneira de lidar com o tempo de Deus é através da bússola da fé.

Conclusão: É preciso discernir o tempo! (Sl 90.12)

Adriano Moreira

LIÇÕES DO TEMPO

Ec 3.1-8

Introdução: O que podemos aprender do tempo?

1. Há tempo de nascer e tempo de morrer (v.2a)
• Isto ensina-nos que não somos eternos (Sl 90.10)

2. Há tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou (v.2b)
• Isto ensina-nos que voltar atrás nem sempre é uma derrota (Ex 14.2)
3. Há tempo de matar e tempo de curar (v.3a)
• Isto ensina-nos a sermos cuidadosos em nossos relacionamentos (Cl 4.5)

4. Há tempo de edificar e tempo de derribar (v. 3b)
• Isto ensina-nos que nossos empreendimentos são passageiros (1 Co 3.14)

5. Há tempo de chorar e tempo de rir (v.4)
• Isto ensina-nos que a vida não é só de lamentos ou só de celebrações (Rm 12.15)

6. Há tempo de espalhar e tempo de ajuntar (v.5a)
• Isto ensina-nos que não devemos nos abater com os revezes da vida (Fp 4.12)

7. Há tempo de abraçar e tempo de não abraçar (v.5b)
• Isto ensina-nos a não cair em depressões profundas quando formos contrariados em nossos relacionamentos (2 Tm 4.16,17)

8. Há tempo de ter e tempo de perder (v.6a)
• Isto ensina-nos que as vezes corremos o risco de perder algo que amamos (Gn 22.2)

O TEMPO E A VIDA HUMANA

Ec 3.9-22

Introdução: Entender o tempo é entender a vida. Ela está submissa a ele. Sabendo discerni-lo, saberemos viver.

1. A Importância do Tempo na Existência Humana (vs.9-15)
• O tempo pode revelar a falta de confiança em Deus, v.10
• O tempo revelará que Deus é perfeito, apesar de tudo, vs.11,14. O homem vive no tempo numa perspectiva acima do tempo (eternidade). Este é o segredo para se viver no tempo.
• “Tu nos fizeste para ti mesmo, e nossos corações não descansam enquanto não encontram paz em ti” (Agostinho)
• Podemos encontrar alegria na vida, pois ela é um privilégio dado por Deus, v.12.
• Só encontraremos satisfação quando encararmos a vida como dádiva divina, v.13; 2 Co 7.13
• O tempo revelará que a história é cíclica. Por isso podemos aprender com ela, v.15

2. Como Entender o Controle Divino e a Maldade Humana (vs.16-20)
• A pergunta que nos fazemos sempre: Se Deus está no controle, por que tanta maldade?, v.16
• Deus permite als coisas como resultado do livre arbítrio humano, vs.17,18
• O tempo revelará que somos tão frágeis como os animais, vs.19,20.
• A única real diferença será vista na eternidade, v.21. Pois nesta vida todos irão para o pó.
• A única solução é viver sabiamente e com alegria a vida que Deus nos deu, v.22

Conclusão: Que Deus nos dê corações sábios para que saibamos contar os nossos dias.

Adriano Moreira

AS TRIBULAÇÕES DA VIDA REAL

Ec 4.1-16

Introdução: Neste texto veremos aspectos da vida real. Ou seja: a vida como ela é. Se não, vejamos:

I. As Marcas da Vida Real (vs.1-8)
1. A vida real é marcada por injustiças, vs.1-3
• Há mais injustos do que justos, Sl 119.136.
• Falta consolo e amparo para a maioria dos injustiçados.
• A injustiça gera insatisfação com a vida, vs.2,3.
• Só em Deus há consolo, Sl 119.50.

2. A vida real é marcada por inveja, v.4
• A inveja consiste em sentir-se mal com o bem estar do outro, ou no desejo de tomar o que é do outro.
• A maioria das pessoas são movidas pela inveja. Elas tem a inveja como verdadeira motivação para a vida.

3. A vida real é marcada por preguiça, v.5
• A preguiça pode ser uma manifestação de indiferença e desânimo, Pv 24.33,34.
• Isto torna-se uma agressão a si mesmo. É como comer a própria carne.

4. A vida real é marcada por inquietação, v.6
• Não há proveito na riqueza com inquietação, Pv 15.16; 10.22.
• É sempre preferível o pouco com sossego, paz e descanso.

PERIGOS NA ESTRADA DA VIDA

Ec 5.1-20

Introdução: A vida é uma longa estrada cheia de perigos. Caminhar sobre ela exige dos transeuntes o conhecimento da existência deles. Eis alguns apresentados neste capítulo:

1. A PRECIPITAÇÃO (vs.1-7)
• No falar
• Solução: Temor de Deus

2. A INSUBORDINAÇÃO (vs.8-9)
• A todo o tipo de autoridade.
• Solução: Submissão.

3. AS RIQUEZAS (vs.10-20)
• O amor as riquezas.
• Solução: Viver segundo Deus

Conclusão: Que estejamos atentos aos perigos na estrada da vida.

Adriano Moreira

PERGUNTAS QUE NOS FAZEM REFLETIR

Ec 6.1-12

Introdução: A reflexão é uma virtude fundamental para se viver sabiamente a vida. Se não, vejamos:

I. Que Proveito Há em Possuir Bens dos Quais Não se Pode Usufruir? (vs.1-5)
• Por que não repartir?, Ec 11.1,2
• É pior do que a morte ou um aborto.
• Isso não traz felicidade e satisfação.

II. Que vantagem Há na Longevidade sem Paz? (vs.6-7)
• O sentido da vida está na satisfação, Ec 9.9
• Porque não buscar a Deus?, Mt 4.4

III. Que Lucro Há no Conhecimento sem Discernimento? (vs.8-9)
• Ser inteligente sem sabedoria e percepção.
• A verdadeira percepção da vida “vista dos olhos” é reconhecer a dependência de Deus.
• Por que não buscar a sabedoria do alto?, Tg 1.5; 3.19

IV. Que Fim Há em Lutar o Homem Com Quem é Mais Forte Que Ele? (vs.10-12)
• Tudo no mundo material é vaidade. Inclusive o homem.
• Daí, não há nada que o homem tenha de melhor.
• Só Deus sabe e tem o de melhor para o homem.
• Por que não se juntar a Ele?, Sl 73.28

Conclusão: No próximo capitulo o autor alista algumas respostas a essas perguntas.

Adriano Moreira

O MELHOR DE DEUS PARA MIM

Ec 7.1-29

Introdução: Nem sempre sabemos o que é o melhor pra nós. Deus é o único que sabe, conhece e tem o que é de melhor pra nós. Se não, vejamos:

I. O Melhor de Deus Para o Meu Dia-a-Dia (vs.1-15)
1. Que eu saiba lidar com o sofrimento.
• O sofrimento produz reflexão e sabedoria, vs.2,4.
• O sofrimento produz maturidade, v.3.
• O sofrimento testa o caráter, v.7.
2. Que eu saiba lidar com a repreensão.
• A repreensão trás conhecimento, vs.5.
• A insensatez é irritante e inútil como um espinho, v.6.
3. Que eu saiba lidar com o tempo.
• A paciência é a melhor maneira de lidar com o tempo, v.8
• O importante é como terminamos, não como começamos, v.8.
• Só os longânimos sobrevivem ao tempo, v.9; Jó 5.2.
• O “HOJE” sempre será mais importante que o “ONTEM”, v.10.
4. Que eu saiba lidar com os bens.
• Possuir riquezas sem sabedoria é assinar um atestado de pobreza, vs.11,12.
• A sabedoria é necessária para administrar as bençãos, v.11
5. Que eu saiba lidar com a incausalidade da vida.
• Não há leis fixas de causa e efeito imperando sobre a vida humana.
• Há os que vêem Deus como Causa Única de todas as coisas. Isto chama-se determinismo radical.
• Há os que enxergam o diabo como causa de todo o mal e Deus como causa de todo o bem. Isto chama-se dualismo filosófico.
• Há os que entendem que não há causalidade na existência humana. Isto é Teologia da Realidade.