QUANDO AS ACUSAÇÕES PERMANECEM

Jó 5.1-27

Introdução: Muitas vezes o período de acusação se prolonga mais do que pensamos. Às vezes com os mesmos acusadores. Neste caso devemos resistir com temor ao Senhor. Vejam as acusações…

  1. NA LOUCURA DE JÓ NENHUM ANJO OU SER ESPIRITUAL LHE SERIA SOLIDÁRIO (vs.1-2)
  • Há muita gente achando que Deus não socorre ao necessitado.
  • Elifaz assume o papel de juiz do seu próximo. Isto, fora de Deus, sempre será uma tarefa satânica.
  • Jó soube discernir a Graça de Deus na desGraça.
  • Você conseguiria isso

    2.  AS CONSEQUÊNCIAS QUE ATINGIRAM JÓ ERAM MAIS QUE PREVISÍVEIS (vs.3-7)

  • Os males de um homem podem ser gerados pela sua bondade ao invés de sua maldade.
  • Jó chegou achar que sua justiça seria um cerco ao seu redor contra todos os males.
  • A melhor chance do ser humano se conhecer não é somente pela oração, jejum, mas pelo sofrimento e dor.

     3.  ELIFAZ DIZ QUE SE ELE ESTIVESSE NO LUGAR DE JÓ BUSCARIA A DEUS (vs.8-11)

  • Os acusadores sempre dizem que os sofredores não estão buscando a Deus.
  • Jó já tinha uma vida de comunhão integra com Deus. Em momento algum Jó menciona Satanás em seus argumentos.
  • Jó era de Deus. Deus é soberano.
  • Um homem que sabe que Deus é Deus não conversa com o Diabo (Jo 19.11)
  • Jó descobriu que o pior adversário não era Satanás. Mas aqueles que tratam com carinho e depois acusam piedosamente como nem o Diabo faria.

     4.  A PROSPERIDADE DE JÓ HAVIA SIDO FRUTO DA ASTÚCIA (vs. 12-18)

  • Prosperidade na vida dos justos que não usam de corrupção ou coisa semelhante é desconfiada como fruto do engano.
  • Disciplina é algo que Deus aplica a discípulos.
  • Nem sempre se precisa ser um Judas para se prosperar.
  • Judas é um arquétipo universal e não há casa, família, sociedade, tribo ou igreja que não tenham os seus!

      5.  ELIFAZ CONCLUI SEU DISCURSO “PIEDOSAMENTE PERVERSO” DIZENDO QUE SE JÓ FOSSE HOMEM DE DEUS, ENTÃO, OS MALES DA TERRA NÃO O ATINGIRAM (vs.19-27)

  • Este discurso é verdadeiro quando não há intervenção divina. Quando sabemos que há.
  • Este é um discurso moralista de causa e efeito.
  • Para ele um justo não poderia sofrer. Um justo elimina muitas possibilidades de dor. Ele deveria ter lido o livro de Eclesiates.

Conclusão: A única maneira de sobreviver ante as acusações do muitos é confiando irrestritamente em Deus, esperando ouvir a sua voz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *