A PALAVRA ENCARNADA

Jo 1.1-18

Introdução: O quarto Evangelho, escrito pelo apóstolo João (1.37-40; 19.26; 20.2,4,8; 21.20,24) cerca de 50 a 70 d.C., tem como propósito fazer o leitor crer que Jesus é o Filho de Deus, e crendo, possam ter vida eterna nEle (20.30,31). Por isso seleciona milagres, ensinos e pregações dentre apenas cerca de vinte dias dos três anos de ministério de Jesus no intuito de comprovar a posição dEle como Filho de Deus. Neste propósito ele inicia o seu evangelho apresentando Jesus como o logos encarnado, o deus humanizado. Eis as características da Palavra encarnada:

 

  1. A PALAVRA É ETERNA (vs.1-3)
  • João começa revelando a eternidade da Palavra. E, esta mesma Palavra, Verbo e Sabedoria é Cristo, Gn 1.26; Pv 8.22-31; Is 44.24.
  • Três revelações são feitas aqui por João:
  • 1) A Palavra já “era” quando nada ainda “era”;
  • 2) A Palavra estava presente desde antes do princípio;
  • 3) A Palavra é criadora da existência. Isto é: a Palavra “É”, enquanto tudo mais “existe.

 

  1. A PALAVRA É GERADORA DE VIDA (vs.4-5)
  • Não existe vida fora da Palavra. João faz questão de mostrar isso (Jo 6.68; 15.4,5).
  • Só a Vida gera luz nas trevas. Apesar de serem forças opostas, a luz é incomparavelmente mais eficaz que as trevas (1 Jo 2.8).
  • Só permanece nas trevas quem rejeita a luz, 8.12; 9.5.

 

  1. A PALAVRA É TESTEMUNHÁVEL (vs.6-8, 15-18)
  • João Batista aparece como testemunha ocular da mensagem que anuncia. Ele é o homem enviado por Deus.
  • Todavia João, evangelista torna-se testemunha pessoal do que relata. Ele era o discípulo amado.
  • Ser testemunha é apontar outro, ao invés de si mesmo. É mostrar outro, e não a si próprio.
  • Ele testemunhou da:
  • A Supremacia de Cristo: “excelência”, v.15.
  • A Pré-existência de Cristo: “existia antes de mim”, v.15.
  • A Plenitude de Cristo: “sua plenitude”
  • A Graça de Cristo: “graça sobre graça”
  • A verdade de Cristo: “graça e a verdade”
  • A Revelação de Cristo: “é quem o revelou”.

 

  1. A PALAVRA É ABRANGENTE (vs.9-10)
  • Como luz ela alcança a todos.
  • O alvo divino sempre foi a humanidade.
  • Para ser alcançado por esta luz é preciso reconhecê-la.

 

  1. A PALAVRA É TRANSFORMADORA (vs.11-14)
  • Só transforma quem a recebe, v.11
  • É preciso recebê-la pela fé, v.12
  • Gera filhos segundo a vontade de Deus, v.13
  • Provoca uma transformação: 1) visível; 2) presente; 3) gloriosa; 4) graciosa; 5) verdadeira (v.14).

 

CONCLUSÃO: Que esta Palavra esteja encarnada em nosso viver diário!

Adriano Moreira

UMA VOZ QUE CLAMA NO DESERTO

Jo 1.19-34

Introdução: Deus sempre utilizou-se de uma voz. Quando não da sua própria, como na criação, Ele valia-se de um profeta, que é um porta-voz. Na pessoa de João, o Batista. Deus se faz ouvir mais uma vez. Isto, depois de fazer sua voz soar pela boca de todos os profetas precedentes a João Batista. Deus só precisa de uma voz para se fazer ouvir. Ainda que esta voz clame num deserto. Eis as características de uma voz que clama num deserto:

 

  1. TEM CONSCIÊNCIA DE QUEM É (vs.19-23a)
  • Ele sabia que era apenas uma voz.

 

  1. SABE O QUE DIZ (vs.23b)
  • Ele tinha a mensagem certa a entregar.

 

  1. SABE O QUE FAZ (vs.25,26)
  • Ele tinha certeza do que veio fazer.

 

  1. SABE PARA QUE VEIO (vs.26b,27,29-34)
  • Ele não tinha dúvidas de sua missão.

CONCLUSÃO: Seja uma voz de Deus nesta geração!

Adriano Moreira

ENCONTRANDO JESUS NO CAMINHO DA VIDA

Jo 1.35-51

Introdução: Este texto relata o encontro dos primeiros discípulos de Jesus. Deste encontro com Jesus na estrada da vida, traz-nos algumas lições:

 

  1. DIFERENTES MANEIRAS DE SE ENCONTRAR JESUS
  • Pelo ouvir a mensagem de Evangelho, v.36,37
  • Pelo desejo e anseio de buscar a Deus, v.38
  • Pelo discipulado e evangelização, vs.40, 41,42,45,46
  • Pelo chamado direto do mestre, v.43
  • Pela experiência pessoal com o divino, vs.46-49

 

  1. RESULTADO NA VIDA DE QUEM ENCONTRA JESUS
  • Tem discernimento no coração de quem é Jesus, v.36
  • São chamados e convivem na intimidade com Jesus, v.39
  • Torna-se um proclamador desta verdade, vs.41-42
  • Tem seu caráter mudado, v.42
  • É exposto à revelação da verdade, vs.47-48
  • Contempla a glória de Deus em sua vida, vs.45-51

CONCLUSÃO: Você já teve um encontro real com Jesus no caminho da vida?

Adriano Moreira

EXPERIMENTANDO O NOVO DE DEUS

Jo 2.13-25

Introdução: Este texto é uma continuação do assunto abordado no texto anterior. O vinho novo de Caná da Galiléia traz a mesma mensagem da purificação do templo em Jerusalém: o novo de Deus é muito melhor e superior:

  1. ALGUMAS VERDADES FICAM EVIDENTES NOS DOIS EPISÓDIOS
  • As talhas da religião judaica estavam vazias.
  • A religião judaica havia corrompido o templo.
  • Algo novo precisava substituir este sistema velho, vazio e corrompido.
  1. A SUBSTITUIÇÃO DO VELHO PELO NOVO É RADICAL
  • O templo de pedra é substituído pelo templo do corpo.
  • O vinho velho da religião é substituído pelo vinho novo da espiritualidade.
  • O vazio da religião é substituído pela abundância da fé.
  1. PARA QUE SE EXPERIMENTE O NOVO DE DEUS
  • É preciso crer no que está escrito (Escrituras), v.22
  • É preciso crer no que está dito (Palavra), v.22
  • É preciso crer para além dos milagres, v.23
  • É preciso possuir um coração sincero e verdadeiro, v.24
  • É preciso saber que Deus conhece os que são seus, v.25; 2 Tm 2.19

CONCLUSÃO: A condição uniquanon para se experimentar o novo de Deus é crer nesta Palavra.

Adriano Moreira

A NECESSIDADE DO NOVO NASCIMENTO

Jo 3.1-21

Introdução: Este capítulo introduz o grande tema do evangelho: o novo nascimento. O evangelista narra a conversa particular de Jesus com um fariseu, membro do sinédrio. Nesta conversa Jesus mostra-lhe a necessidade do nascer de novo. Isto porque a necessidade de nascer de novo revela algumas verdades:

  1. NASCER DE NOVO É O ÚNICO MEIO DE ENTRADA NO REINO DE DEUS (vs.3,5)
  • Não basta “saber” (v.2); é preciso “nascer” (v.3) .
  • Há muita gente que sabe acerca de Deus; mas isto não basta.
  1. NASCER DE NOVO É UM PROCESSO INDISCERNÍVEL A RAZÃO HUMANA (vs.4,6-12)
  • É um processo subjetivo.
  • É um processo indescritível como o vento.
  • É um processo perceptível.
  • É um processo aceitável pela fé, vs.11,12.
  1. NASCER DE NOVO É RESULTADO DO AMOR DIVINO PELO HOMEM (vs.13-16)
  • Só é possível pela encarnação de Jesus.
  • A identificação de Cristo pela encarnação com o pecador foi necessária, vs. 13,14.
  • Cristo torna-se pecado por nós, como a serpente símbolo do próprio mal que atingia aos israelitas no deserto.
  • O amor divino foi incomparável.
  1. NASCER DE NOVO É UMA EXPERIÊNCIA QUE SE APROPRIA PELA FÉ NO AMOR SACRIFICIAL DE DEUS (vs.16-21)
  • Para se obter esta nova vida é preciso crer no Filho de Deus.
  • É preciso crer basicamente em três coisas: 1) Jesus não veio condenar, mas salvar; 2) Deus nos amou como somos (Rm 5.8); 3) Quem crê é salvo; quem não crê já está condenado.
  • Toda a condenação resume-se na escolha humana, v.19.
  • A experiência de vir para a luz é resultado de decisão pessoal e intransferível, vs. 20,21.

CONCLUSÃO: Necessário vos é nascer de novo!

Adriano Moreira

A CONSCIÊNCIA DE UM SERVO

Jo 3.22-36

Introdução: O contexto ministerial e vocacional de João Batista apontava uma única direção: testificar de Jesus. Sua função não era falar de si mesmo, mas somente de Jesus. Assim, ele revela o tipo de consciência que todo servo vocacionado deve ter:

  1. CONSCIÊNCIA DE SUA MISSÃO (vs.22-23)
  • Ele era precursor de Jesus
  • Nós devemos dar testemunho de Cristo
  1. CONSCIÊNCIA DE QUEM ELE ERA (vs.25,26,28)
  • Ele era um profeta – porta-voz, veja cap. 1.23
  • Cristo é Deus.
  1. CONSCIÊNCIA DE SUA AUTORIDADE (vs.27,31-36)
  • A autoridade de Cristo é soberana e plena.
  • A de João era delegada e limitada.
  1. CONSCIÊNCIA DE SUA TRANSITORIEDADE (vs.29-30)
  • Importa que Cristo cresça e nós diminuamos.
  • Cristo veio permanente e substitutivamente.

CONCLUSÃO: Que Cristo cresça e você diminua até chegarmos em Gl 2.20, onde poderemos declarar que “não mais vivo eu, mas Cristo vive em mim…”.

Adriano Moreira

A NECESSIDADE DE JESUS PASSAR POR SAMARIA

Jo 4.1-30

Introdução: Não havia nenhuma razão lógica para Jesus passar por Samaria, se não o fato de que a distância mais curta entre a Judéia e a Galiléia ser o caminho que passa por Samaria. As questões geopolíticas, religiosas e as perseguições que Jesus sofria eram suficientes para fazê-lo evitar este caminho. Porém o texto diz no verso quatro que “era-lhe necessário passar por Samaria”. Eis as razões:

  1. A NECESSIDADE DE REVELAR A REAL NECESSIDADE DE TODO SER HUMANO (vs.7,10,11,13-15)
  • Todo o ser precisa de Deus e tem sede de Deus, Sl 42.1,2.
  • A eternidade está posta no coração do homem, Ec 3.11.
  • Jesus é a verdadeira água da vida!
  1. A NECESSIDADE DE MOSTRAR A INEXISTÊNCIA DE BARREIRAS RACIAIS PARA O EVANGELHO (vs.7,9,27-29)
  • Não há racismo religioso – Judeus x Samaritanos.
  • Não há racismo sexual – mulher.
  • Não há racismo político – Samaria x Judéia.
  • A cidade inteira foi evangelizada pela mulher (v.39) e por Jesus (v.40).
  1. A NECESSIDADE DE SE REVELAR PESSOALMENTE (vs.9,12,19,25-26,29)
  • A revelação é progressiva: maior que Jacó (v.12); um judeu (v.9); um profeta (v.19) e Cristo (v.29).
  1. A NECESSIDADE DE TRAZER A SAMARITANA DA UTOPIA À REALIDADE DA VIDA (vs.13-18)
  • A realidade de que o poço não poderia matar a sua sede, v.13.
  • Ela vivia uma irrealidade.
  • Como profeta Jesus lhe confronta com a verdade.
  • Sua sede era existencial e emocional, vs.16-18.
  1. A NECESSIDADE DE REVELAR A ESSÊNCIA DA ESPIRITUALIDADE (vs. 21-24)
    • Não se pode confundir espiritualidade com religiosidade.
    • A espiritualidade não necessita de lugar.
    • A espiritualidade não se vê na exterioridade.
    • Deus é Deus da espiritualidade porque é Espírito.
    • A verdadeira adoração: 1) Não depende de lugar; 2) Acontece no interior, no espírito; 3) Acontece no chão da verdade.

CONCLUSÃO: Que Jesus passe por nossa Samaria existencial e nos faça grandes revelações!

Adriano Moreira

A VONTADE DE DEUS COMO NECESSIDADE BÁSICA EXISTENCIAL

Jo 4.31-42

Introdução: Cristo coloca a vontade de Deus como necessidade básica para a vida. Ele a compara como uma comida. A necessidade do comer é visceral para a sobrevivência. Significando que o não comer compreende morrer. É assim que se deve considerar a vontade de Deus, segundo Jesus. Isto pelas seguintes razões:

  1. É MAIS IMPORTANTE QUE QUALQUER OUTRA NECESSIDADE (vs.31,32)
  • Não há necessidade maior que a vontade de Deus.
  • Toda e qualquer necessidade real é deve submeter-se a vontade de Deus.
  1. É MAIS URGENTE E IMINENTE QUE QUALQUER OUTRA REALIDADE (vs.35)
  • Há uma necessidade urgente de se fazer a vontade de Deus enquanto é dia.
  1. É MAIS RECOMPENSADORA QUE QUALQUER OUTRA DÁDIVA (vs.36-38)
  • Normalmente colhemos o que o outro plantou.
  • Recebe-se galardão duplo: nesta vida e no porvir.
  1. É MAIS INFLUÊNCIADORA QUE QUALQUER OUTRA VERDADE (vs.31-42)
  • A samaritana foi influenciadora de toda a sua cidade.
  • Mesmo sendo quem era, influenciou a outros por estar na vontade de Deus.

CONCLUSÃO: Viva e experimente a vontade de Deus pra sua vida hoje!

Adriano Moreira

SIMPLESMENTE CRER E PROSSEGUIR

Jo 4.43-54

Introdução: O Evangelho pede de nós uma única coisa como condição para se seguir e estar no Caminho: Fé. Só ela capacita-nos a seguir, servir e prosseguir. No exemplo do oficial do rei aprendemos as características desta. A fé que nos leva a crer e prosseguir é:

  1. DIFERENTE DOS QUE SEGUEM APENAS PELOS MILAGRES (v.48)
  • Jesus deu uma repreensão, não ao oficial, mas aos que estavam ao redor que o seguiam apenas pelos milagres que realizava.
  • A fé necessária para se estar caminhando no Caminho independe de milagres.
  • Aliás, esta fé é para além dos milagres. Ela se sobressai exatamente na ausência deles.
  1. DIFERENTE DOS QUE PRECISAM PRIMEIRO VER PARA DEPOIS CRER (v.50)
  • É extraordinário o fato de que o oficial nada viu, mas creu.
  • Ele não pediu nenhuma prova do milagre. Ele simplesmente creu.
  • Como filhos de Abraão devemos possuir a fé que não necessita de ver para se saber que é e está consumado.
  1. É SUFICIENTE PARA NOS FAZER SEGUIR NA CERTEZA DO QUE DEUS JÁ FEZ POR NÓS (v.52)
  • Este oficial fica sabendo que o milagre acontece exatamente na hora em que ele recebeu a palavra de Jesus.
  • Isto significa que precisamos caminhar na certeza de que ESTÁ CONSUMADO.
  • Na cruz tudo foi consumado! Na eternidade já estava feito!

CONCLUSÃO: Se esta não for a nossa fé é possível que não estamos no Caminho, mas apenas na estrada.

Adriano Moreira